10/12/2013

Over Again: Capítulo 11

  Stay Strong.

Vá em frente e tente me puxar para baixo, eu vou me levantar do chão... Como um arranha-céus.
-Skyscraper/Demi Lovato.


SeuNome Pov's On.

Acordei com uma dor de cabeça enorme. Porque diabos eu fui dormir a tarde? Eu acabo acordando a noite e não consigo mais dormir. Fui até a cozinha e a sala para ver se meu pai estava em um dos cômodos e não, deduzi então que ele estivesse em seu quarto, dormindo. Afinal já eram 23:11.
Eu: Vou tomar banho! –pensei alto.
Eu tinha trago de casa meu shampoo e condicionador, porque eu tinha acabado de comprar e não ia desperdiçá-lo. Até porque gastei 60 reais nele! Nativa Spa de Cereja.
Peguei um pijama qualquer que se encontrava no meu armário e fui tomar meu banho, tive que lavar meu cabelo, por que ainda continha resíduos do ocorrido de hoje, que eu não gosto de lembrar. Sai do banho e fui direto para o quarto, eu estava sem fome. Quando eu ia dobrar a minha calça o colar havia caído, eu o peguei, sentei na minha cama e fiquei o olhando.
Eu: Não pode ser do Liam. É muita coincidência. Mas é bem típico dele dizer coisas tão lindas para uma garota com farinha no cabelo. Ele foi tão fofo! MEU DEUS EU CONHECI O LIAM, MEU CORAÇÃO! Não pode ser, eu to delirando outra vez. É, é isso. Eu to delirando! Preciso tomar remédio pra isso, ou até ir em um psicólogo. –apertei o colar com força e fechei os olhos, logo depois coloquei em meu pescoço, achei o melhor lugar para não perder, se o dono viesse até mim eu o entregaria, deitei na cama, fiquei fitando o teto por alguns minutos e logo depois acabei pegando no sono.



Pai: SEUNOME, SEUNOME, SEUNOME. ACORDA MINHA FILHA! VOCÊ ESTÁ ATRASADA! SUPER ATRASADA! AI MEU DEUS –meu pai falava, quer dizer gritava no meu ouvido e eu não conseguia entender nada, talvez fosse o efeito do sono.
Eu: O que.. que foi pai? –perguntei sentando na cama e tentando enxergar com clareza.
Pai: Você está atrasada! Já são 7:00 horas, anda, anda. Levanta SeuNome!
Eu: Ah eu ainda não me acostumei com esse fuso horário!
Pai: Anda, levanta logo!
Eu: Tudo bem, pai. Já vou! –falei sem vontade alguma de voltar pra escola, de enfrentar tudo novamente, de ter forças pra isso. Estou muito dramática. Calcei meu chinelo e fui direto para o banheiro, fiz minha  higiene, tomei banho, coloquei a toalha e fui direto para o meu quarto me trocar, abri o guarda roupa e– SEUNOME ANDA LOGO, VOCÊ ESTÁ ATRASADA! –meu pai me gritava da cozinha, peguei apenas a primeira blusa que eu vi e meu all star. E marrumei peguei minha mochila e fui direto pra cozinha. Fui pegar uma torrada e meu pai me cortou.

Pai: Nada disso, você está realmente atrasada SeuNome! Você foi dormir que horas?
Eu: Não sei, não lembro. Eu acordei era onze horas, pai. Eu to com fome.
Pai: Pega a torrada e anda logo!
Eu: Ok. –peguei a torrada– Tchau! Bom trabalho. –abracei ele e sai. Desci as escadas, porque eu não iria de elevador, não mesmo. Estava calma, não queria chegar na escola mesmo.
Eu: Bom dia seu Adam!
Seu Adam: Bom dia, menina. –sorriu– Está atrasada, não? Aqui as coisas são bem pontuais, precisa se acostumar.
Eu: Eu nem quero chegar na escola, seu Adam. –ele riu tão fofinho, Seu Adam era um velhinho de meia idade, mas muito fofo. Não sei se ele tinha família aqui, porque eu também não ia perguntar. Mas sua pele era branquinha, que nem as pessoas de Londres, seus olhos eram azuis e ele tinha algumas sardas, bem pouquinhas, quase nada. Mas era muito fofo. – Mas eu sei, já esta tarde, bem eu vou indo.
Seu Adam: Tenha um bom dia, minha querida.
Eu: Para o senhor também. –sorri.
Sai da portaria, passei pela casa de Erick e resolvi mandar uma mensagem, com certeza ele já estaria na escola.

Já está na escola? Xx SeuApelido

Mandei e continuei andando, olhando para todos os cantos, Londres era realmente incrível, por mais que tudo estivesse agitado, eu sinto falta do calor do Brasil, ás vezes.

Sim, e você está atrasada! Anda logo pequena, bem, não posso responder, aula de Química! Xo Erick

Sorri com a mensagem e continuei andando. Cheguei no colégio e tive que inventar uma mentira muito grande pro carinha da porta, porque ele não queria me deixar entrar –outra vez- foi tipo: Tio, é sério, olha... meu pai trabalha ás 4 da manhã e não tem como ele me acordar, porque eu não vou acordar essa hora pra ir pra escola, por que não dá, e tipo, eu sou do Brasil. Conhece? Conhece? Aquela coisa de braços abertos? –abri os braços igual ao Cristo Redentor- então, eu me mudei pra cá e eu não sou acostumada com o fuso horário, é tudo novo. Por favor, eu não posso perder a aula.
Ele suspirou se dando por vencido e eu abri um sorriso pra ele. Sai correndo pelos corredores, mas qual era a minha aula?
Eu: Aonde eu coloquei? Que merda! Aonde está o papel? Ai que nojo.. –coloquei a mão e uma parte da minha mochila que continha uma gosma nojenta, deduzi que fosse de ontem e dei de ombros- ACHEI! Literatura, que legal. –olhei novamente para o papel pra ver a sala e fui procurando, abri a porta com toda força do mundo, fazendo o impacto bater em alguma pessoa, que caiu no chão. A sala toda parou para me olhar– AI MEU DEUS! –todos começaram a rir, e quando eu vi, o professor estava no chão, com as mãos no nariz. Puta merda, segundo dia de aula e já indo pra sala da diretora– Me Desculpa, me desculpa, mesmo... Ai meu Deus!
Xxx: OLHA É A MENINA GOSMENTA! –alguém disse e quando eu olhei pra ver quem era todos começaram a rir de mim, senti meu estomago embrulhar e meus olhos começaram a arder do nada. Ah não por favor, não chorar não. Porque eu não to conseguindo ser forte? Porque eu estou tão vulnerável? Porque? Não acredito! Coloquei minhas mãos sobre meu rosto, e com um pouco de dificuldade me retirei da sala correndo... e chorando, novamente. Corri pelos corredores até achar o banheiro da escola, entrei e graças a Deus, não tinha ninguém, me apoiei na parede do banheiro, chorando e fui descendo assim com minhas costas, até estar sentada no chão. Parecia um filme na minha cabeça, mas não em câmera lenta, rápido, como tudo mudou, rápido. Prendi minhas pernas em meus braços, como se estivesse amarrando-os e pus minha cabeça sobre meu joelho e continuei chorando. Me veio uma lembrança, uma voz na minha cabeça... Você é linda, não merece isso, vai tudo se resolver. Ele pediu pra mim não chorar, mas foi em vão. Não tinha como.
        Alguém abriu a porta e no mesmo segundo eu estava limpando as minhas lágrimas, deseja tanto que não fosse a Manuela ou algumas de suas amigas.
Xxx: Ei, você está chorando? O que aconteceu? –a menina de cabelos cacheados castanho claro disse em um tom de preocupação e veio até em mim.
Eu: Nada... Está tudo bem. –enxuguei ás lagrimas mais uma vez.
Xxx: Olha se estivesse tudo bem, você não estaria aqui, sozinha, chorando... –ela me olhou e sorriu– Espera, você.. não é a menina que...
Eu: Sim, sou eu, não me lembre disso, por favor. –a interrompi e ela pareceu entender.
Xxx: Ok, me chamo Beatriz, mas você pode me chamar de Bia, ou Bea. Vem aqui, vamos enxugar essas lágrimas. –ela estendeu as mãos e sorriu e eu apenas sorri de lado e peguei na mão dela. Ela pegou um pedaço de papel higiênico e delicadamente passou sobre meus olhos e eu acabei rindo.
Eu: Obrigada!
Bea: Não precisa agradecer, eu também não gosto da Manuela. Ela também não gosta de mim, não consigo entender como ela pode ser irmã do fofo do Eri –ela parou de falar quando se tocou o que estava dizendo e ficou envergonhada– Esquece!
Eu: Ah você gosta do Erick? –perguntei com um sorriso no rosto.
Bea: O queeeeeee? –ela vez uma voz fina o que me fez rir mais– Para de rir de mim! –ela gargalhou de volta– Eu sempre achei o Erick um fofo, eu acho lindo o jeitinho dele. Mas ele nem deve saber quem eu sou. -ela deu de ombros-
Eu: Eu sou amiga do Erick, você quer que eu te apresente a ele?
Bea: O que? –ela arregalou os olhos– Não, não, por favor. Não faz isso!
Eu: Tudo bem, Bea! Mas você pode sentar com a gente na hora do almoço.
Bea: Não... obrigado! –ela sorriu e olhou pra baixo– Mas, você não me disse seu nome.
Eu: SeuNome, SeuNome e Sobrenome. Mas todos me chamam de SeuApelido! –sorri.
Bea: Como? –ela me olhou assustada.
Eu: É que eu sou brasileira, e é meio comum no Brasil. SeuNome! –eu ri.
Bea: Ah uma brasileira, que legal, porém eu prefiro o SeuApelido! É complicado seu nome.
Eu: Que nada, com o tempo você se acostuma! 
Bea: Mas então, a mocinha não vai me dizer por que estava tão triste? –Beatriz perguntou me olhando de forma carinhosa.
Eu: Ah... –olhei pro chão e suspirei– Agora a pouco eu.. estava meia atrasada e quando eu entrei na sala eu abri a porta com muita força e o impacto dela foi direto no professor, levando ele ao chão –Beatriz gargalhou– É sério! –eu ri.
Bea: Por isso você estava chorando? Sério?
Eu: Não! Logo depois disso, alguém gritou “olha a menina gosmenta” e depois... todos começaram a rir de mim, eu não levo jeito pra aturar essas coisas. Nunca aconteceu isso comigo eu era tão feliz no Brasil.
Bea: As pessoas daqui vão tudo na onda da Manuela, SeuApelido. É sério, não liga pra eles. Eles fazem tudo que ela pede, ela é a abelha rainha –fez aspas com as mãos– dessa escola. Mas pra mim ela é não passa de uma patricinha limonaja que se acha a última bolacha do pacote! –Beatriz riu e eu acabei rindo junto com ela e concordando– Você tem aula de que agora?
Eu: Não quero voltar pra sala.
Bea: Você não pode se esconder do mundo, você precisa enfrentar as pessoas, por você. Vamos, qual é a sua aula?
Eu: Literatura, mas já deve estar acabando, eu cheguei atrasada como tinha dito. Então... –fui até minha bolsa e peguei o papel e lá constava Biologia– Bem, é... Biologia! É com o Erick –sorri– e você?
Bea: Ai que sortuda! Eu tenho Língua Inglesa agora, bleh. –ela fez cara de nojo e eu ri– Ent.. –o sinal tocou– Acho que vamos ter que ir, mas nos vemos no almoço, combinado?

Eu: Combinado! –guardei o papel dentro da minha bolsa– Até Bea! – dei tchau e sai pela porta e ouvi-a falar Tchau SeuNome!  ri com aquilo porque era bem engraçado como ela falava o meu nome, peguei meu papel novamente pra ver a sala e fui andando pelos corredores novamente á procura dela, suspirei fundo e continuei andando. Tenho que enfrentar, como Beatriz disse.

SeuNome Pov's Off.

            
Oi galera, tudo bom?
Bem, queria dizer que euzinha aqui<<< passei de série.
Hahahaha, Olá 2º ano.
Enfim, to feliz.
Espero que gostem do capítulo.
Xx Alê.

7 comentários:

  1. Caraca segundo ano bom pra vc , pq pra mim vai demorar:-C , continuaaaaa
    #se liga no meu beah huashuas

    ResponderExcluir
  2. Continuaa ...muito bom esse capitulo
    como sempre!! <3
    xxGabs

    ResponderExcluir
  3. estaaa lindoo perfect o estranho e que eu me chamo beatriz

    ResponderExcluir

Oii cenourinhas!
Sejam bem-vindas (:
O comentário de vocês são importantes para nos.
Então comenta princesa ;3